Home / Tutoriais / Como minerar utilizando simplemining

Como minerar utilizando simplemining

Introdução:

Simplemining é um dos diversos sistemas operacionais dedicados exclusivamente para mineração. Ele foi desenvolvido a partir da distribuição Ubuntu do Linux portanto sua instalação é gratuita.

Apesar disso, a configuração, gerenciamento e monitoramento das RIGs de mineração é feita através de um portal web mantido pelo desenvolvedor e portanto você paga um valor mensal por cada equipamento gerenciado. Você pode testar o sistema por até 3 dias gratuitamente e depois o valor é de 2 dólares por equipamento  (na data de hoje, 16/07/2018) e pode ser pago em criptomoeda, diretamente no site.

Pré requisitos:

  • Pendrive, HD ou SSD com capacidade de pelo menos 8GB;
  • Placa de vídeo compatível com o Simplemining (RIGs mistos de NVIDIA e AMD não são suportados):
    NVIDIA: quase todas;
    Radeon / AMD: R9 200/300 / RX400 / RX500 (oficialmente placas Vega não são suportadas no momento);
  • 1GB à 4GB de memória ram, dependendo do minerador utilizado e da quantidade de placas de vídeo;
  • Conexão de rede/internet por cabo com servidor DHCP (sistema não dá suporte a rede WiFi)

Primeiros passos:

Deve iniciar criando conta no site simplemining.net, caso não saiba como cadastrar-se clique AQUI

Configurando uma Rig

Ciente dos pré-requisitos vamos para a configuração da sua primeira RIG (no tutorial vamos utilizar o sistema operacional Windows como base para a configuração e um pendrive como disco de armazenamento).

Gravando o disco de inicialização

1 – Em um computador com Windows, acesse o site https://simplemining.net/. Caso já esteja no site, apenas clique “About OS” no menu da esquerda. Você deve ver uma tela semelhante à esta:config

2 – No quadro de Download, você deve baixar o arquivo de instalação correspondente ao equipamento que você possui. No momento há uma versão para as placas antigas da AMD (série HD, R9, etc) e outra versão para as placas RX e Nvidia. No nosso exemplo vamos utilizar a versão RX & NV ;

3 – Salve o arquivo em um local de sua preferência no disco local do seu computador. Após completo o download, você terá que descompactar o arquivo;

4 – O arquivo que você baixou é a imagem do sistema operacional. O próximo passo é gravar essa imagem no dispositivo de armazenamento que você vai utilizar para inicializar o RIG, que em nosso caso é o pendrive. Para esta tarefa, vamos utilizar o programa Etcher, disponível em https://etcher.io/. Faça o download o Etcher, instale no computador e execute;

5 – Após executar o Etcher, você pode inserir o pendrive no computador. Uma tela semelhante à esta deve ser exibida:

Note que na informação central, a ferramenta vai automaticamente detectar o pendrive que você inseriu. Se não detectar você pode clicar em “Change” e escolher manualmente.

6 – Clique em “Select image”, escolha o arquivo que você descompactou no passo 3 e então clique em “Flash!”, conforme ilustrado abaixo;

config4

O processo costuma ser um pouco demorado (20 – 40 minutos) e durante o mesmo é possível que você veja alguma janela do Windows Explorer se abrindo ou ainda algum pedido de formatação do pendrive. Recomendamos não clicar em nada até o final do processo.

7 – Ao termino do processo, se tudo correu bem, a mensagem abaixo será exibida. Feche e/ou cancele as janelas que se abriram;

8 – Remova e insira o pendrive novamente no computador. É provável que o Windows peça para formatar o pendrive uma vez que ele não reconhece a partição que foi criada no formato do Linux. Apenas cancele a mensagem e localize em “Meu Computador” a unidade de disco que possui o arquivo de texto com o nome de “config.txt” (ou apenas “config”, caso seu explorer esteja configurado para ocultar as extensões de arquivos conhecidos). Segue exemplo ilustrativo:

9 – Abra o arquivo de configuração (por padrão o Windows abre no Bloco de notas) e edite o arquivo. Você deve localizar a linha  “[email protected]” substituindo o email “[email protected]” pelo seu endereço cadastrado no site. Em nosso exemplo ficará algo semelhante à ilustração a seguir;

10 – Após editar o arquivo, clique no “X” para fechar o bloco de notas. O aplicativo vai perguntar se você deseja salvar as alterações, clique em “Salvar”;

11 – Pronto! Seu disco de inicialização já está pronto para uso. Basta conectar o mesmo no RIG e inicializar a máquina.

Inicializando o Rig e Configurando no portal

1 – Após criar o disco de inicialização, você deve conectar o mesmo na USB da placa mãe do RIG e ligar o equipamento. Se tudo correu bem, o sistema será inicializado e vai se conectar na plataforma para a atualização automática;2 – Após a atualização automática do sistema, o mesmo vai detectar sua conta (destaque abaixo) e vai atualizar os softwares de mineração;3 – E por fim, o mesmo vai inicializar o minerador padrão, que é o Claymore dual mining, tudo de forma automática.

Uma vez que você ainda não configurou o minerador, ele vai detectar suas placas mas vai apresentar erro de conexão. Não se preocupe, já vamos prosseguir com a configuração.

4 – Acesse novamente simplemining.net e faça login com sua conta. Se sua RIG foi inicializada corretamente e detectada pelo seu email no passo 2 ela será listada na janela “RigList”;

Nesta tela você terá todas as informações para monitoramento e gerenciamento da RIG. Vamos separar e detalhar cada um dos campos:

  • Assign Group: Permite você associar o RIG à um “Rig Group” que é o que vai definir qual software ela vai utilizar, carteira e moeda a ser minerada;
  • Global Options: Possui algumas opções globais que no momento estão sendo realocadas. Não é necessário configurar nada aqui;
  • All rigs Actions: Por hora só permite você resetar os contadores de status da RIGs;
  • Fee balance: Permite você visualizar o saldo disponível em sua conta da plataforma. Clicando nele você é direcionado para a tela de depósitos;

  • Name: Nome da RIG
  • Group: Grupo ao qual a RIG está associado (vai definir qual minerador, carteira e moeda serão utilizados);
  • Notes: Campo para anotações pessoais que você queira fazer (opcional)
  • Status: Indica se a RIG está ligada ou desligada e entre “( )” o número de restarts da rig desde a última vez que você resetou o contador (seja por queda de energia, travamentos ou atualizações);
  • Console: Indica a velocidade em H/s apontada pelo software de mineração (colocando o mouse sobre o campo é possível ver a velocidade individual de cada placa);
  • Max °C: Indica a temperatura e o “%” do fan da placa mais quente (colocando o mouse sobre o campo é possível ver a temperatura e % individual de cada placa);
  • Core/Mem: mostra o Core Clock e Memory Clock de cada placa (em cima o Core Clock e embaixo o Memory Clock);
  • Actions: Vamos detalhar individualmente cada um dos campos:

Console: Permite acessar o console em tempo real e ter uma prévia da tela do minerador;
LAN Shellinabox: Permite acesso remoto na rig (necessário estar na rede local);
Overclocking: Configurações de overclock e controle de temperatura e fan;
Reload miner program: Reinicializa o minerador
Reboot Rig: Reinicializa a RIG
SRR: Permite acionar o dispositivo “SimpleRigResetter”, vendido na loja do site;
Delete: Deleta o rig da lista

5 – Seguindo com a configuração então, na coluna “Name” vamos clicar em “noname” para definir um nome para a nossa RIG. Em nosso exemplo vamos usar RIG01 (não esqueça de salvar, clicando em “Save”, após preencher os dados);

6 – Depois vamos fazer ajustes de Overclock. Aqui não temos como passar uma recomendação de valores pois os parâmetros adequados variam para cada equipamento e também para cada moeda. O site mesmo alerta “Não utilize a menos que saiba o que está fazendo!!!”. Ainda assim recomendamos não utilizar valores acima de 75ºC para temperatura alvo (Target Temperature °C) e deixar a velocidade do fan (Fan Speed %) sempre acima de 50% (vai depender muito do comportamento do hardware, mas em geral temperaturas mais baixas aumentam a vida útil do equipamento);

8 – A RIG está pronta para uso, agora precisamos apenas configurar o Minerador;

Configurando o Minerador no Simplemining

1 – Vamos clicar em “Rig Groups”. A tela abaixo será exibida. Ela é semelhante à RigList, porém aqui cada item corresponde à uma configuração de minerador;

2 – O sistema já traz uma configuração padrão com o nome de “default”. Podemos editar a mesma, clicando no símbolo da engrenagem ou criar uma nova, clicando em “+Add Group”. Vamos optar pela segunda opção;

3 – Na tela “Add group” vai ser exibida a lista de todos os mineradores disponíveis (esta lista é atualizada constantemente pelo desenvolvedor da plataforma). Além do nome do minerador, temos os indicadores “R”, “RX” e “NV”, que indicam a compatibilidade do software com placas AMD série R, RX, ou Nvidia. Nos outros campos, informações e comentários adicionais como algoritmos e moedas compatíveis;

4 – Em nosso exemplo, vamos configurar o Claymore Dual Miner, que é a primeira opção “claymore-eth”. Veja que clicando na linha, o site lista todas as versões disponíveis do minerador (salvo alguma excessão, em geral a melhor opção é a versão mais recente). Vamos escolher aqui a v11.9 clicando em “Select Miner”;

5 – Após selecionar o miner, a tela a seguir será exibida. Nela então você deve definir um nome da sua escolha e uma descrição para o grupo, além da própria linha de comando, no campo “Miner OPTIONS”. Esta linha de comando é diferente para cada minerador, pool e moeda. Preencha os 2 primeiros campos e vamos dar sequencia no próximo passo;

6 – Para melhor compreensão de como preencher o campo “Miner OPTIONS” vamos usar como exemplo a mineração de PIRL na pool do ReiDoCoin, que é compatível com esse minerador.

No exemplo abaixo, destacamos em verde a configuração usada no Windows e em vermelho a linha de comando onde está o executável do minerador  e os parâmetros de configuração, que seriam os dados da última linha:

“EthDcrMiner64.exe -epool <Servidor> -ewal <Sua_Carteira>.<NomeDaRig> -epsw x -mode 1 -ftime 1 -allcoins 1”

Aqui é preciso entender que:

  • “EthDcrMiner64.exe” – Corresponde ao executável do Windows
  • “-epool <Servidor> -ewal <Sua_Carteira>.<NomeDaRig> -epsw x -mode 1 -ftime 1 -allcoins 1” – Corresponde aos parâmetros do minerador

Simplificando, o nome do aplicativo do Windows é sempre o primeiro termo da linha e é seguido de “.exe” e os demais parâmetros são as opções do minerador. No Simplemining então devemos inserir apenas os parâmetros do minerador, que em nosso exemplo vai ficar (aqui já inserimos o endereço da Pool e da Carteira de PIRL escolhidos):

-epool pool.sp1.pirl.reidocoin.com.br:7225 -allcoins 1 -allpools 1 -ewal 0x13d8dcd893387cdfac51a6bb9cf2a518fc1b3b1a -epsw x -ftime 1

7 – Preenchidos os dados, deve ficar algo semelhante ao exemplo a seguir. Para finalizar a configuração, clique então em “AddGroup”;

8 – O portal vai atualizar a tela “Rig Groups” e agora será possível ver a nova configuração que foi criada;

9 – Volte para a tela “RigList”, clicando no menu da esquerda e selecione a RIG clicando na caixa de seleção ao lado do nome:

10 – Depois clique no botão azul “ASSIGN GROUP” e na tela que será exibida escolha o grupo que acabou de criar, conforme exemplo abaixo, e clique em “Save” para salvar a configuração;

11 – Após salvar o site vai mostrar a mensagem de confirmação da configuração:

12 – E em alguns segundos o minerador deverá ser reinicializado na RIG e, se tudo foi configurado corretamente, vai inicializar a mineração;

13 – Após alguns minutos, será possível ver o status do minerador na tela “RigList”:

Bem como abrir o “Miner Console” para ver um espelhamento remoto dos dados do minerador:

14 – Pronto! Você configurou com sucesso sua RIG. Agora basta adicionar as demais RIGs para gerenciar sua mineração pelo SimpleMining.

This post is also available in: pt-br

About RDCToken

Check Also

4stake.com | Como cancelar a compra de cotas

Na nova versão do 4stake, quando você fez a compra de cotas de um masternode …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *